Versos Íntimos De Augusto Dos Anjos

Reza September 1, 2021
Versos Intimos Augusto Dos Anjos Analise EDUCA

Augusto dos Anjos foi um importante poeta brasileiro, nascido em 1884, na cidade de Paraíba. Sua obra é marcada pelo pessimismo e pela crítica social, e um de seus poemas mais conhecidos é “Versos Íntimos”. Neste texto, iremos nos aprofundar nesse poema e entender melhor suas características e significados.

Contexto Histórico

Para entendermos melhor a obra de Augusto dos Anjos, é importante conhecer o contexto histórico em que ele viveu. O poeta nasceu em uma época de grandes mudanças no Brasil, marcada pela abolição da escravidão, pela proclamação da República e pelo início da industrialização.

Além disso, Augusto dos Anjos viveu durante a Primeira Guerra Mundial, que teve um grande impacto em todo o mundo e marcou o início do século XX. O Brasil, embora não tenha participado diretamente da guerra, foi afetado economicamente e socialmente pelo conflito.

Diante desse cenário de mudanças e incertezas, a obra de Augusto dos Anjos se destaca por sua visão pessimista e crítica da sociedade. Seus poemas abordam temas como a morte, a decadência humana e a fragilidade da vida.

Características do Poema

“Versos Íntimos” é um dos poemas mais conhecidos de Augusto dos Anjos e apresenta diversas características que são típicas de sua obra. Algumas delas são:

  • Visão pessimista: o poema apresenta uma visão negativa da vida e da existência humana, com imagens de morte e degradação.
  • Crítica social: o poema questiona a sociedade e a forma como as pessoas vivem, sugerindo que elas estão distantes da verdadeira essência da vida.
  • Uso de linguagem científica: Augusto dos Anjos era formado em direito e ciências físicas e naturais, e sua obra reflete essa formação acadêmica. Em “Versos Íntimos”, por exemplo, ele usa termos como “polipétalo”, “clorofila” e “cósmica energia”.
  • Estilo modernista: embora tenha sido escrito no início do século XX, o poema apresenta características do modernismo, como a fragmentação do discurso e a experimentação formal.

Análise do Poema

A seguir, vamos analisar os versos de “Versos Íntimos” e entender melhor seu significado:

For more information, please click the button below.

“Vês! Ninguém assistiu ao formidável Enterro de tua última quimera. Somente a Ingratidão – esta pantera – Foi tua companheira inseparável!”

O poema começa com uma imagem forte: o enterro da “última quimera” do eu-lírico. A palavra “quimera” aqui pode ser entendida como um sonho ou uma ilusão. O poeta sugere que ninguém assistiu a esse enterro, o que pode ser interpretado como uma referência à solidão e à falta de compreensão que o eu-lírico sente em relação aos seus sentimentos.

Em seguida, o poema apresenta a “Ingratidão”, personificada como uma pantera, como a companheira inseparável do eu-lírico. Aqui, a “Ingratidão” pode ser entendida como uma metáfora para a falta de reconhecimento e gratidão que o poeta sente em relação à sociedade. Ele se sente incompreendido e ignorado.

“Acostuma-te à lama que te espera! O Homem, que, nesta terra miserável, Mora, entre feras, sente inevitável Necessidade de também ser fera.”

Nos versos seguintes, o poeta faz uma crítica à sociedade e à forma como as pessoas vivem. Ele sugere que os seres humanos são como feras, vivendo em um ambiente hostil e violento, e que é inevitável que eles se tornem também feras.

A expressão “acostuma-te à lama que te espera” pode ser entendida como uma referência à vida difícil e sem sentido que as pessoas levam. O poeta sugere que é preciso se conformar com essa situação e aceitar a vida como ela é.

“Toma um fósforo. Acende teu cigarro! O beijo, amigo, é a véspera do escarro, A mão que afaga é a mesma que apedreja.”

Os versos finais do poema apresentam uma visão ainda mais pessimista da vida. O poeta sugere que o beijo é como uma véspera do escarro, ou seja, que qualquer momento de felicidade é passageiro e será seguido pelo sofrimento e pela morte.

A frase “a mão que afaga é a mesma que apedreja” apresenta uma visão cínica das relações humanas, sugerindo que as pessoas são capazes de machucar aqueles que amam.

Conclusão

Em “Versos Íntimos”, Augusto dos Anjos apresenta uma visão pessimista e crítica da vida humana, questionando a sociedade e a forma como as pessoas vivem. Seu uso de linguagem científica e sua experimentação formal tornam o poema uma obra única e marcante na literatura brasileira.

FAQs

O que é uma quimera?

Uma quimera é uma figura mitológica composta por partes de diferentes animais. No contexto do poema “Versos Íntimos”, a palavra pode ser entendida como um sonho ou uma ilusão.

Qual é o significado da expressão “acostuma-te à lama que te espera”?

A expressão sugere que as pessoas devem se conformar com a vida difícil e sem sentido que levam, aceitando-a como ela é. É uma expressão pessimista e resignada.

Por que a obra de Augusto dos Anjos é considerada uma crítica social?

A obra de Augusto dos Anjos aborda temas como a morte, a decadência humana e a fragilidade da vida, questionando a forma como as pessoas vivem e sugerindo que elas estão distantes da verdadeira essência da vida. Essa visão crítica e pessimista da sociedade torna sua obra uma crítica social.

Related video of versos intimos augusto dos anjos

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait