Segundo Tetzel Quem Lhe Deu A Autoridade Para Perdoar Pecados

Reza March 25, 2023
Responda em seu caderno com base no texto a) Segundo Tetzel, quem lhe

Muitos se perguntam quem deu a autoridade aos sacerdotes para perdoar os pecados dos fiéis. Essa questão é uma das principais controvérsias da história da igreja, pois houve muitas divergências sobre a forma como a salvação é alcançada. Para entender essa questão, é importante conhecer o contexto histórico e a teologia da época.

O contexto histórico

No século XVI, a igreja católica passava por uma grave crise. O papado havia se tornado corrupto e se preocupava mais com questões políticas e financeiras do que com a salvação das almas. Além disso, a igreja estava dividida em diferentes facções, cada uma defendendo uma interpretação diferente da Bíblia.

Nesse contexto, surgiram movimentos de reforma que buscavam restaurar a pureza da fé cristã. Um desses movimentos foi liderado por Martinho Lutero, um monge alemão que criticava a venda de indulgências.

A teologia da indulgência

Para entender a controvérsia sobre a autoridade para perdoar pecados, é preciso conhecer a teologia da indulgência. Naquela época, a igreja ensinava que, após a morte, as almas iam para o purgatório, onde sofriam para expiar seus pecados antes de ir para o céu.

Porém, a igreja acreditava que os fiéis podiam adquirir indulgências, que eram perdões parciais ou totais das penas do purgatório. Essas indulgências podiam ser obtidas através de obras de caridade, como doações para a igreja ou peregrinações a lugares sagrados.

Os sacerdotes eram responsáveis por conceder essas indulgências aos fiéis. Acreditava-se que eles tinham o poder de ligar e desligar pecados, ou seja, de perdoar ou não os pecados das pessoas.

For more information, please click the button below.

A crítica de Lutero

Martinho Lutero criticava a venda de indulgências, pois acreditava que a salvação não podia ser comprada. Ele argumentava que a única forma de obter a salvação era pela fé em Jesus Cristo, e não por obras de caridade ou pela intermediação dos sacerdotes.

Além disso, Lutero questionava a autoridade dos sacerdotes para perdoar pecados. Ele argumentava que a Bíblia ensinava que apenas Deus podia perdoar pecados, e que os sacerdotes não tinham o poder de conceder perdão divino.

Essa crítica de Lutero foi um dos principais motivos que levaram à Reforma Protestante, que dividiu a igreja cristã em católica e protestante.

A posição de Tetzel

Johann Tetzel foi um sacerdote católico que ficou famoso por vender indulgências na Alemanha. Ele era um dos principais alvos das críticas de Lutero, que o acusava de enganar as pessoas e de vender perdão divino.

Em resposta a essas críticas, Tetzel afirmava que tinha a autoridade para perdoar pecados porque havia sido nomeado pelo papa. Ele argumentava que o papa era o sucessor de Pedro, a quem Jesus havia dado as chaves do reino dos céus, e por isso tinha o poder de perdoar pecados.

Tetzel também argumentava que os sacerdotes tinham o poder de perdoar pecados porque eram sucessores dos apóstolos, aos quais Jesus havia dado o poder de ligar e desligar pecados.

A resposta de Lutero

Martinho Lutero rejeitava a autoridade dos sacerdotes e do papa para perdoar pecados. Ele argumentava que apenas Deus podia perdoar pecados, e que a salvação era obtida pela fé em Jesus Cristo, e não por obras de caridade ou pela intermediação dos sacerdotes.

Lutero também criticava a ideia de que os sacerdotes eram sucessores dos apóstolos e tinham o poder de ligar e desligar pecados. Ele argumentava que essa interpretação da Bíblia estava errada, e que o poder de ligar e desligar pecados se referia à pregação do Evangelho e à disciplina da igreja, e não à concessão de perdão divino.

A conclusão

A questão da autoridade para perdoar pecados é uma das controvérsias mais antigas da história da igreja. A teologia da indulgência e a venda de perdão divino foram um dos principais motivos que levaram à Reforma Protestante, que dividiu a igreja cristã em católica e protestante.

Martinho Lutero foi um dos principais críticos da venda de indulgências e da autoridade dos sacerdotes para perdoar pecados. Ele argumentava que a salvação não podia ser comprada e que apenas Deus podia perdoar pecados.

Hoje em dia, a questão da autoridade para perdoar pecados ainda é importante para muitas pessoas. A igreja católica ainda acredita que os sacerdotes têm o poder de perdoar pecados, enquanto as igrejas protestantes defendem que apenas Deus pode conceder perdão divino.

FAQs

1. O que é indulgência?

Indulgência é um perdão parcial ou total das penas do purgatório, que a igreja católica acreditava poder ser obtido através de obras de caridade, como doações para a igreja ou peregrinações a lugares sagrados.

2. O que é o poder de ligar e desligar pecados?

O poder de ligar e desligar pecados se refere à pregação do Evangelho e à disciplina da igreja, e não à concessão de perdão divino. A interpretação de que os sacerdotes têm o poder de perdoar pecados é uma das principais divergências entre a igreja católica e as igrejas protestantes.

3. Qual é a posição da igreja católica sobre a autoridade para perdoar pecados?

A igreja católica ainda acredita que os sacerdotes têm o poder de perdoar pecados, pois são sucessores dos apóstolos, aos quais Jesus havia dado o poder de ligar e desligar pecados. Essa posição é uma das principais diferenças entre a igreja católica e as igrejas protestantes.

Related video of segundo tetzel quem lhe deu a autoridade para perdoar pecados

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait