Quais Os Interesses Europeus Em Dividir A China Naquela Época

Reza December 17, 2021
Geofactualidades China à conquista da Europa

A divisão da China por parte das potências europeias foi um acontecimento histórico que ocorreu no final do século XIX e início do século XX. Nesse período, a China era governada pela Dinastia Qing, que enfrentava muitos problemas internos, como a corrupção, a falta de modernização e a fraqueza militar. Essa situação criou uma oportunidade para as potências europeias, que tinham interesses econômicos e políticos na China.

Interesses econômicos

Uma das principais razões pelas quais as potências europeias queriam dividir a China era para garantir o acesso aos mercados chineses e às suas riquezas naturais. A China era um grande produtor de seda, porcelana, chá e outros bens que eram altamente valorizados no mercado internacional. As potências europeias viam a China como um mercado em expansão para seus produtos manufaturados, como tecidos, máquinas e armas.

Além disso, as potências europeias queriam garantir o acesso aos portos chineses para facilitar o comércio com outros países da Ásia. A China tinha uma localização estratégica para o comércio entre a Europa e a Ásia, e as potências europeias queriam garantir uma posição privilegiada nesse comércio.

Interesses políticos

Além dos interesses econômicos, as potências europeias também tinham interesses políticos na China. A China era uma grande potência regional, com uma história e uma cultura ricas. As potências europeias viam a China como uma ameaça potencial às suas próprias esferas de influência na Ásia.

Além disso, havia uma rivalidade entre as potências europeias pelo controle da China. A Grã-Bretanha, a França, a Alemanha, a Rússia, a Itália e o Japão estavam competindo pelo domínio da China e por influência na região.

A partilha da China

A partilha da China foi um processo gradual que começou na década de 1840, quando a Grã-Bretanha impôs a China a Guerra do Ópio, que resultou na abertura de cinco portos chineses ao comércio internacional. Em 1895, a China perdeu a primeira Guerra Sino-Japonesa, que resultou na perda de Taiwan e na abertura de novos portos ao comércio internacional.

For more information, please click the button below.

Em 1898, a Alemanha obteve o arrendamento da Baía de Jiaozhou, o que lhe deu o controle sobre um grande porto na China. Em seguida, a França obteve concessões no sul da China, enquanto a Rússia obteve concessões no norte da China e na Manchúria.

Em 1900, a China enfrentou a Rebelião dos Boxers, um movimento nacionalista que se opunha à influência estrangeira na China. As potências europeias enviaram suas tropas para esmagar a rebelião e impor um tratado humilhante à China, conhecido como Tratado de Boxer.

Esse tratado exigia que a China pagasse uma indenização às potências europeias, abrisse novos portos ao comércio internacional e permitisse a presença de tropas estrangeiras em solo chinês. Esse tratado marcou o fim da Dinastia Qing e o início de um período de instabilidade política na China.

Consequências da partilha da China

A partilha da China teve várias consequências negativas para o país e para a região. A China perdeu sua soberania e foi obrigada a abrir seus mercados e recursos naturais às potências europeias. Além disso, a presença estrangeira no país gerou tensões e conflitos com a população local.

Alguns movimentos nacionalistas surgiram na China para se opor à influência estrangeira, como o Movimento de 4 de Maio de 1919, que exigia a modernização do país e o fim da influência estrangeira.

A partilha da China também gerou tensões entre as potências europeias, especialmente no que diz respeito à esfera de influência de cada país na China. Essas tensões culminaram na Primeira Guerra Mundial, que envolveu vários países europeus e teve impacto global.

Conclusão

A partilha da China pelas potências europeias foi motivada por interesses econômicos e políticos na região. Essa partilha teve consequências negativas para a China e para a região, gerando tensões e conflitos que culminaram na Primeira Guerra Mundial.

FAQs

1. Quais potências europeias participaram da partilha da China?

Várias potências europeias participaram da partilha da China, incluindo a Grã-Bretanha, a França, a Alemanha, a Rússia, a Itália e o Japão.

2. Como a China reagiu à partilha do país pelas potências europeias?

A China reagiu à partilha do país pelas potências europeias com desconfiança e resistência. Alguns movimentos nacionalistas surgiram na China para se opor à influência estrangeira.

3. Como a partilha da China contribuiu para a Primeira Guerra Mundial?

A partilha da China gerou tensões e conflitos entre as potências europeias, especialmente no que diz respeito à esfera de influência de cada país na China. Essas tensões culminaram na Primeira Guerra Mundial, que envolveu vários países europeus e teve impacto global.

Related video of quais os interesses europeus em dividir a china naquela época

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait