A Impossibilidade Física Da Morte Na Mente De Alguém Vivo

Reza July 4, 2021
A inevitabilidade da morte FCS Fundação Clóvis Salgado

A obra “A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo” é uma escultura criada pelo artista britânico Damien Hirst em 1991. A peça é composta por um tubarão-tigre preservado em formaldeído, flutuando em um tanque de vidro. A obra foi vendida em 2004 por US$ 12 milhões.

Significado da Obra

A escultura de Hirst levanta questões sobre a vida, morte e mortalidade. O título da obra sugere que, apesar do tubarão estar fisicamente morto, sua imagem ainda permanece viva na mente de quem a contempla.

De acordo com o próprio Hirst, a peça é uma reflexão sobre a relação do homem com a morte. Ele afirmou que a obra é uma tentativa de “criar algo impossível – uma imagem impossível que representa a impossibilidade física da morte na mente de alguém vivo”.

Tubarão-Tigre

O tubarão-tigre é uma espécie que habita as águas temperadas e tropicais do mundo inteiro. É conhecido por sua agressividade e pode medir até 5 metros de comprimento. A escolha de Hirst por essa espécie específica de tubarão se deve ao fato de ele considerá-la uma “máquina perfeita”, com um design impecável.

Formaldeído

O formaldeído é uma substância química utilizada como conservante de tecidos orgânicos. Na escultura de Hirst, o tubarão é preservado em formaldeído para manter sua aparência natural.

Controvérsias

A obra de Hirst gerou diversas controvérsias desde sua criação. Alguns críticos afirmam que a peça é uma simples provocação, sem qualquer valor artístico. Outros argumentam que a utilização de um animal morto para fins artísticos é imoral.

For more information, please click the button below.

Em 1995, um grupo de manifestantes invadiu uma exposição de Hirst em Londres e jogou tinta vermelha no tubarão, em protesto contra a utilização de animais mortos em obras de arte.

Legado da Obra

A escultura de Hirst se tornou uma das obras mais icônicas da arte contemporânea. Ela representa uma reflexão sobre a vida e a morte que continua a intrigar e provocar discussões entre críticos e espectadores até hoje.

A obra “A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo” é uma escultura criada pelo artista britânico Damien Hirst em 1991. A peça é composta por um tubarão-tigre preservado em formaldeído, flutuando em um tanque de vidro. A obra levanta questões sobre a vida, morte e mortalidade. O título da obra sugere que, apesar do tubarão estar fisicamente morto, sua imagem ainda permanece viva na mente de quem a contempla. A utilização de um animal morto para fins artísticos gerou diversas controvérsias desde sua criação. No entanto, a escultura se tornou uma das obras mais icônicas da arte contemporânea, representando uma reflexão sobre a vida e a morte que continua a intrigar e provocar discussões entre críticos e espectadores até hoje.

1. Qual é o significado do título “A Impossibilidade Física da Morte na Mente de Alguém Vivo”?

O título da obra sugere que, apesar do tubarão estar fisicamente morto, sua imagem ainda permanece viva na mente de quem a contempla. A peça levanta questões sobre a vida, morte e mortalidade.

2. Por que o tubarão-tigre foi escolhido para a obra?

O tubarão-tigre foi escolhido por Hirst por considerá-lo uma “máquina perfeita”, com um design impecável.

3. Qual é o legado da obra?

A escultura de Hirst se tornou uma das obras mais icônicas da arte contemporânea, representando uma reflexão sobre a vida e a morte que continua a intrigar e provocar discussões entre críticos e espectadores até hoje.

Related video of a impossibilidade física da morte na mente de alguém vivo

Reza Herlambang

Eu sou um escritor profissional na área de educação há mais de 5 anos, escrevendo artigos sobre educação e ensino para crianças na escola.

Leave a Comment

Artikel Terkait